segunda-feira, 1 de junho de 2009

VOTO DE LISTA, DISTRITAL, PROPORCIONAL: TRAIÇÃO NACIONAL, CRIME CONTRA A DEMOCRACIA

Lula foi veemente, exaltado e até apopletico, ao pedir aos ouvintes: "Não votem em vigaristas, votem em gente do povo, que vá representar você sem roubalheiras ou pensando apenas
em enriquecer". E foi dando uma porção de exemplos e conselhos.

Mas como cidadão-contribuinte-eleitor e ainda por cima presidente, Lula devia fazer uma campanha diaria sobre dois itens que DARIAM ou DARÃO autenticidade
e credibilidade à representatividade.

1) Acabar com o VOTO EM LISTA, a maior traição à democracia.

2) Não aceitar o VOTO DISTRITAL com eleição PROPORCIONAL. Voto distrital é para facilitar a escolha do cidadão. Proporcional é confusão total. Como misturar as coisas? Lula tem que usar os formidaveis meios de comunicação de que dispõe para ESCLARECER o povo e salvar a democracia.

3) Purificar o mais possivel a escolha dos deputados, senadores, governadores, logico e principalmente a de presidente da Republica, a mais importante de todas. É necessario, indispensavel e imediata uma reforma completa que dê autencidade à representatividade.

Temos senadores e deputados e numero exagerado e com mandatos longos demais, o que não facilita a RENOVAÇÃO. Vejam quantos anos (ou dezena de anos) os mesmos personagens estão no mesmo palco, encenando a mesma opera (bufa) para desespero do publico que não suporta mais tanta mediocridade. (E desonestidade. Rima, é verdade).

Tudo isso é importantissimo, se ficassem hoje apenas nos dois itens que anunciei. Como não farão nada, pelo menos mostremos a importancia TRAIDORA E TRAIÇOEIRA do voto de lista e o distrital com voto proporcional, excrescencia.

1) VOTO DE LISTA. É a morte da representatividade, pior ainda do que o suplente. Adotado esse sistema, teremos 513 deputados (nos EUA, presidencialismo igual ao Brasil, são 425 para 300 milhões de habitantes) que destruirão a representatividade. E macularão o VOTO DISTRITAL (se este for mesmo aprovado e adotado, o que não acredito).

Deixemos bem claro como funciona (?) o famigerado VOTO DE LISTA. O eleitor não escolhe ninguém, vota no partido, que tem os nomes previamente colocados pela cupula que domina tudo, longe do eleitor. Dizem queisso é o VOTO PARTIDARIO. O cidadão não indicaria nomes, refendaria (sem saber) os que estão na lista.

Ora, isso é ainda pior do que está agora. Votando em nomes, o cidadão tem a possibilidade eleger alguém que conhece ou em quem confia. (É raro mas às vezes acontece).

Por que VOTAR NO PARTIDO se eles não existem? É a cupula que comanda tudo. Um só exemplo que pode ser encontrado em todos os partidos: vejam na cupula de todos eles, os "donos", de quem maneira estão no Congresso. Michel temer, presidente do maior partido, o PMDB e presidente da Camara, não foi eleito. Ficou como ultimo eleito porque o ultimo foi cassado. No VOTO DE LISTA, será eleito sem o cidadão-contribuinete-eleitor saber, estará na lista. Assim em todos os "partidos". (As aspas são indispensaveis).

2) VOTO DISTRITAL. Esse tipo de escolha é o mais aproximado da representatividade verdadeira. Cada partido escolhe um candidato, que disputa com os candidatos dos outros partidos, NOMINALMENTE. O eleitor conhece os candidatos, os candidatos conhecem os eleitores, a campanha é curta e de gastos reduzidos. Como o nome está dizendo a eleição ocorre apenas no distrito.

Mesmo o "lider" mais insignificante e despreparado, sabe que está enganando o eleitor misturando VOTO DE LISTA com VOTO DISTRITAL. A LISTA anula o VOTO DIRETO que é o Distrital. E suprema indignidade: garantem que IMPLANTARÃO o VOTO DE LISTA com o DISTRITAL e o PROPORCIONAL.

O VOTO DE LISTA impede o DISTRITAL, que é direto e mais representativo. E acrescentam o VOTO PORPORCIONAL que é a negação do direto. Com o proporcional, já tem acontecido e vai continuar acontecendo: candidatos com 100 mil votos (ou mais) não se elegem, "perdem" para outrs que compram 15 ou 20 mil.

PS- O cidadão não pode deixar que aconteça essa miscelanea, esse "voto" heterogeneo, essa destrambelhada combinação.

PS2- Um Congresso "eleito" dessa maneira é um Congresso falso, sem idoneidade ou credibilidade. E um Congresso com essas MACULAS, não existe, não é democratico. A TRAIÇÃO será esse Congresso existir.

4 comentários:

  1. Belíssimo artigo, Jornalista Hélio Fernandes.
    Esperemos que o Presidente Lula o leia e adote suas sugestões.
    O problema é que esta é uma matéria do Legislativo, e aí, a coisa complica... infelizmente.
    Tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. José Silva (renato01@bigfoot.com)1 de junho de 2009 11:05

    Concordo com o Sr. Hélio Fernandes. Proponho ainda que seja instituído o VOTO LIVRE. ABAIXO O VOTO OBRIGATÓRIO. Educação gratuita e de qualidade para o povo. Aulas em período integral, mas que sejam empreendimentos verdadeiros e não como aqueles do passado (CIEPs-Brizola e CIACs-Collor), que serviram apenas para para desviar recursos para alguns com a construção de edifícios superfaturados.

    ResponderExcluir
  3. Vamos ficar apenas no VOTO DE LISTA. Sou particularmente avesso a todo sistema eleitoral brasileiro, começando por haver "Partidos Políticos", que são organizações criminosas legalmente constituídas. Agora, essa do voto de lista, como bem frisou mestre Hélio - graças que ainda haja alguém com credibilidade e visibilidade neste país - é de arrepiar. Essa é para liquidar com o restinho da nossa democracia. E se não houver uma mobilização nacional contra o voto de lista, essa excrecência será aprovada, com o beneplácito do Lulalá II (segundo mandato).
    Martim Berto Fuchs.

    ResponderExcluir
  4. É inacreditável a competencia inventiva dos nossos parlamentares! REinventaram o voto secreto, mas tão secreto que nem o votante sabe em quem votou. É a consagração do cabresto elevado a enésima potencia. Pelo esforço vale aumentar seus salários e mordoias. Amem.

    ResponderExcluir